segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

Desencontros em série.

Primeiro o cinema desmarcado. Depois, a visitinha depois do curso. Argh, esse Dupleto tá se desencontrando muito.

Pra sanar a falta que o encontro faz, vamos de um pouco de MSN e mais um trecho de Marionete de Guerra.

"Carlos dormiu um sono pesado nas poucas horas que pode dormir. Mas, ao acordar, sentia-se como se não tivesse dormdo sequer 10 minutos. Ao levantar, se vestiu rápido, apesar do sono, e correu para a mesa do café. Comeu um pouco e foi para a escola com Guilherme. Não conseguiu prestar muita atenção nas aulas, pois em sua cabeça martelava a tentativa de uma tática para seu teste, que aconteceria em dois dias.

Acalme-se, em breve você verá sua nova 'arma' para este teste.

A voz, como sempre, enigmática. E Carlos estava louco para sair da escola. Quando o sinal de fim das aulas tocou, Carlos recolheu seus materiais rápido e se despediu de Denzel. Correu para o portão da escola e Guilherme não estava lá. Decidiu ir procurar por ele. Procurou nos corredores do subsolo, do andar de cima e, logo depois, em sua sala. Guilherme estava se despedindo de uma garota, quando ela o puxou pelo braço e lhe deu um beijo de lingua. Quando Guilherme finalizou o beijo e saiu, viu Carlos e ficou vermelho como um pimentão. A menina, ao perceber a situação, também ficou envergonhada.

- Aê maninho! - Zombou Carlos, enquanto ria de seu irmão.

- Não enche. - Respondeu Guilherme, aborrecido.

Os dois se dirigiram rápido ao portão, e Guilherme ficou silencioso todo o tempo. Andava de cabeça baixa o mais rápido que podia, sem correr, para que Carlos não ficasse zombando de sua cara. Estavam em uma avenida movimentada, e bem perto do prédio onde moravam.

- Ah, Gulherme tá virando hominho! - Gritou Carlos para seu irmão, que, irritado, começou a andar mais à frente.

O predio estava logo ali. Guilhrme quria chegar rápido em casa e se trancar em seu quarto, longe de Carlos. Atravessou a rua sem olhar para o lado.

- NÃO! - Gritou Carlos para Guilherme, correndo em sua direção e fazendo sinal com a mão para que parasse.

Um carro, que vinha à toda velocidade, estava indo na direção de Guilherme, que se vira em desespero. Olhou para o carro, não havia tempo de pular para o lado. Ele já estava ali. O motorista pisou no freio, receando não conseguir parar à tempo. Carlos correu na direção de Guilherme desejando que ele não fosse atropelado. E assim o foi. O capô do carro começou a se deformar, o metal começou a se retorçer fazendo um 'U' em volta de Guilherme, e o motorista conseguiu parar seu carro. Guilherme, que não vira tudo isso, se encolheu e fechou os olhos. O motorista, um homem vestindo roupa social, saiu de seu carro com uma expressão estranha no rosto, parecia extremamente surpreso. O capô do carro estava completamente deformado, e não parecia fácil de consertar. Carlos correu até seu irmão e o puxou pelo braço.

- Não faça mais isso. Eu sentiria sua falta.

Os dois chegaram em casa sãos e salvos, e Carlos se trancou no quarto sem preparar almoço para ele ou seu irmão."

Pessoal, alguém quer me dar um presente de natal atrasado?!?! Tenho MUITOS desejos de natal que não chegaram XD

Então, até amanhã, nessa mesma hora, nesse mesmo canal! Até!

Nenhum comentário: